Casamento [quase] à prova de divórcio

 

“Cerca de uma década atrás, a fofoca na boca de todo mundo era que “metade dos casamentos nos EUA acabam em divórcio.” Esse mito foi depois refutado, mas deixou uma impressão duradoura nos elegíveis noivos e noivas. Em um esforço de não se tornar parte da estatística, comecei a pesquisar um pouco a respeito do que torna uma casamento estável. Cruzei então, com um estudo interessante sobre o divórcio entitulado A Diamond is Forever’ and Other Fairy Tales: The Relationship between Wedding Expenses and Marriage Duration. Os autores desse estudo realizaram um levantamento com milhares de recém-casados e recém-divorciados e os perguntaram dúzias de questões sobre o casamento. Depois de rodar os dados em um modelo multivariado, os autores puderam calcular os fatores que melhor predisseram se o casamento terminaria ou não em divórcio. (…) Abaixo estão alguns dos maiores fatores. Eu recomendo fortemente que vocês deem uma olhada no estudo original (link acima), para ver todos eles.

Namoraram por quanto tempo?

Primeiro, vou te orientar sobre como ler os gráficos. Os autores sempre escolheram uma categoria como “ponto de referência”. Isso significa que todas as outras categorias são comparadas a essa. Abaixo, por exemplo, “20% less likely” significa que casais que namoraram de 1 a 2 anos antes do noivado foram 20% menos prováveis de se divorciarem do que casais que namoraram menos do que 1 ano antes de noivarem. marriage-stability-dating O que vemos acima é que namorar 3 ou mais anos antes de noivar leva a um casamento mais estável. Essa descoberta provavelmente não é uma surpresa, mas deveria ser um aviso para aqueles que querem casar ontem. Não pule num casamento antes de realmente conhecer a pessoa.

Quanto você ganha?

Uma descoberta deprimente foi que casais mais ricos são menos propensos a se divorciarem. A correlação não poderia ser mais clara: quanto mais dinheiro você e seu parceiro(a) ganham, menor a chance de acabarem em divórcio. marriage-stability-household-income

Com que frequência você vai à igreja?

Talvez outra descoberta importante, mas não surpreendente, foi que casais que frequentam a igreja [regularmente] tem um casamento muito mais estável. De fato, casais que nunca vão à igreja têm 2x mais chances de se divorciarem do que aqueles que a frequentam regularmente. marriage-stability-religious

Sua atitude a respeito do seu parceiro(a)

Se a aparência ou a riqueza dele(a) é um fator importante na sua decisão de se casar ou não, então tenho más notícias para você: seu casamento tem mais chances de acabar em divórcio do que se você não se preocupasse com essas duas coisas. Essas descobertas são mais estereotípicas ainda quando quebramos as categorias por sexo: homens tem 50% mais chances de se divorciarem caso deem muita importância para a aparência do outro e as mulheres tem 60% mais chances de se divorciarem caso se preocupem demais com a riqueza do outro. marriage-stability-attitude

Quantas pessoas foram à cerimônia?

(…) Pode parecer louco, mas a cerimônia de casamento tem um impacto forte na estabilidade de longo-prazo do seu casamento. Talvez o fator mais importante seja quantas pessoas compareceram à sua cerimônia: casais que se casam secretamente são 12,5 vezes mais propensos a se divorciarem comparados aos que se casaram em uma cerimônia com mais de 200 pessoas. Claramente, isso mostra que ter um grande grupo familiar e de amigos que dão apoio ao casamento é criticamente importante à estabilidade de longo prazo. marriage-stability-wedding-attendance

Quanto você gastou com a festa?

O último gráfico nos faz pensar que se queremos um casamento duradouro, é melhor nos prepararmos para queimar o bolso pagando por uma festança. Entretanto, as descobertas abaixo contradizem completamente essa intuição: quanto mais você gastar no casamento, maior a probabilidade de uma separação.  O que é particularmente assustador nesse ponto é que o custo médio de um casamento nos Estados Unidos é mais de 30 mil dólares! marriage-stability-wedding-expenses No artigo original de pesquisa, os autores sugerem que o fardo financeiro incorrido por casamento caros leva a um estresse financeiro para o casal, que pode definitivamente destruir um casamento. Eles descobriram que as mulheres, em particular, são vulneráveis ao divórcio depois de casamentos caros: mulheres em casais que gastaram mais de 20 mil dólares na cerimônia são 3,5 vezes mais propensas a se divorciarem do que outras que tenham gastado menos do que a metade disso. Em outros palavras “Casamentozilla = Divórciozilla”. Não deixe os vendedores te enganarem e fazerem você gastar as economias da sua vida na sua cerimônia!

Você teve uma lua de mel?

O que quer que aconteça, não cabule a lua-de-mel! Casais que realizaram a lua-de-mel tiveram 41% menos chances de se divorciar do que aqueles que resolveram deixar pra lá. marriage-stability-honeymoon

Ter filhos com seu parceiro(a)

Todos nós conhecemos alguém que estava à beira de um divórcio até que descobriram que estavam à espera de um filho. De acordo com o estudo, ter uma criança com seu esposo(a) pode diminuir as chances de divórcio por até 75% comparado aos casais que não tem filhos. Claro, ter crianças dentro do matrimônio – outro sinal de um casamento planejado – reduz suas chances de divórcio mais do que ter um filho fora do casamento! O que é particularmente interessante, entretanto, é que mesmo ter filhos fora do casamento reduz as chances de divórcio a longo prazo. Parece que casamentos forçados por uma gravidez são mais estáveis do que se esperava! marriage-stability-children

Ter a mesma idade que sua esposa

Leia aqui. (Publiquei um post só sobre esse item)

Ter o mesmo nível educacional que sua esposa(o)

Se você é um Ph.D se casando com alguém que largou o ensino médio, seu casamento pode ser mais instável do que um relacionamento entre dois graduados na faculdade. É particularmente interessante notar que as diferenças de educação importam mais para mulheres do que para homens: mulheres são 50% mais propensas a se divorciar quando existe uma diferença educacional versus 32% de probabilidade adicional para os homens. marriage-stability-education-difference

Fique com ele(a)

Quanto mais longo for o casamento, menor a chance de divórcio. Casais que ficam juntos por 10 anos são 94% menos propensos a se separarem do que aqueles que acabaram de se casar. Para melhor ou pior, se você está com seu parceiro(a) há 10 anos ou mais, é bem provável que você vá até a morte com ele(a)! marriage-stability-marriage-age

Importante: correlação != causação

Claro, é importante saber que essas são todas correlações com a estabilidade matrimonial,  que podem estar nos dizendo um monte de coisas. Por exemplo, o item “ter filhos” poderia ir para ambos sentidos: ou pessoas em casamentos estáveis têm mais chances de ter filhos ou pessoas em casamentos instáveis tendem a não ter filhos. Todas as explicações que escrevi são minha própria interpretação das correlações, mas mantenha a mente aberta quando pensar sobre essas explicações.”

Via Randal Olson, aqui e aqui.
Nota: Uma matéria publicada em um site de notícias, baseada nesse estudo, chamava-se “Casamento à prova de divórcio”. O jornalista que resumiu o estudo, explicava alguns itens-chave como se fossem um “elixir do casamento eterno”. Bem,  eu não acredito que seguir esses itens à risca seja uma solução “fácil” ser feliz o resto da vida com seu esposo(a). Primeiro que um casamento que não se dissolve não é necessariamente um casamento feliz (por exemplo, quanto mais tempo se passa com alguém, menor a chance de se divorciar. Ok. Mas isso acontece pela acomodação ou pela satisfação?). Depois que a maioria dos fatores, como citei na questão da idade, no outro post, escondem verdades mais importantes por trás deles e segui-los por seguir não necessariamente trazem o benefício escondido. Um exemplo é o tempo de namoro. Deveríamos perguntar: o que há de comum entre os casais que namoraram por mais de três anos e estão satisfeitos com o casamento?Talvez a  resposta seja  amizade, intimidade, comunicação  e planejamento no casamento, atributos que podem não ser tão fortes nos que namoraram menos tempo. Mas é lógico que essa hipótese não tira o mérito dessas conclusões. Na verdade, eu nem diria hipótese, já que há um estudo bem mais completo feito pelo dr. David Olson (o mesmo que criou o PREPARE), que testa a importância de atributos mais específicos para a satisfação matrimonial ( em vez de testar “tamanho da festa”, por que não ver a importância do relacionamento com amigos e familiares? É isso que as pesquisas do dr. David fazem, medindo também outros itens como qualidade da comunicação, capacidade de resolver conflitos, gerenciamento financeiro, satisfação sexual, nível de estresse, estilo de personalidade etc). Uma das dezenas de artigos publicados por ele, nessa linha, podem ser encontrados aqui (em inglês).
Inclusive, os próximos posts sobre relacionamentos serão baseados nos principais fatores que predizem a satisfação de um casal, elencados pelas pesquisas dele, utilizando o inventário Prepare/Enrich. Fique de Olho!

Um comentário sobre “Casamento [quase] à prova de divórcio

O que você pensa sobre isso? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s