Cirurgia Plástica?

O assunto é complexo e difícil de interessar por duas principais razões:

Primeira: não há guia bíblico explicito que possa informar uma decisão.

E segunda: o assunto está carregado de elementos sociais, médicos, emocionais e psicológicos que tornam difícil avaliar a decisão objetivamente. Qualquer pessoa considerando uma cirurgia plástica deveria obter orientação médica apropriada e, em alguns casos, até consultar um psicólogo. Minhas observações podem prover um ponto de partida para reflexão posterior.

1. O efeito do pecado em nossos corpos.

O pecado impacta não somente nossa vida espiritual e moral, como também nossos corpos. A nossa mensagem de saúde é uma tentativa de limitar os caminhos do pecado em nosso corpo físico, tanto quanto nos nossos poderes mentais e espirituais. Portanto, lutar contra os efeitos negativos do pecado em nossos corpos não é necessariamente errado. Existem anomalias corporais que, de formas médicas e estéticas, podem requerer correção: cicatrizes, queimaduras, lábios leporinos, etc. Em muito casos essas condições poderiam ter um impacto negativo em nossa autoimagem e na forma como nos relacionamos com os outros. Uma medida de bem estar psicológica poderia ser alcançada através da correção cosmética do que é reconhecida ou considerada como normal.

 2. Superando o preconceito social.

Em alguns casos o sucesso das pessoas está limitado pela simples razão de que elas não se ajustam bem à compreensão particular da sociedade sobre o que é “ser normal”. Elas possuem um aspecto físico que é definido como anormal quando comparado às características mais comuns do mesmo aspecto em outras pessoas. Em muitos casos o preconceito contra esses indivíduos limitam seu avanço profissional. Tentar aperfeiçoar a aparência física afim de aprimorar a influência de alguém, não necessariamente é errado.

 3. Os desafios do embelezamento cosmético.

Em alguns casos nos quais o corpo não desvia de nenhuma forma significante da forma geral, ou quando as mudanças ocorrem por causa do processo natural de envelhecimento, a cirurgia cosmética se torna embelezamento cosmético, comum em sociedades ricas. Aqui as questões éticas se tornam relevantes e difíceis de endereçar. Qual é a motivação para a cirurgia cosmética desejada? Essa motivação é compatível com nossos valores cristãos? A intenção é atrair a atenção, aprimorar o apelo sexual? A particular condição física percebida pela pessoa como anormal está tendo um impacto negativo na sua qualidade de vida? O impacto financeiro da cirurgia cosmética deveria também ser levado em consideração.

 4. A natureza da beleza e do embelezamento cosmético.

O interesse moderno na beleza física está baseado num conceito de beleza que é significantemente diferente do conceito bíblico. Está baseada primariamente em equilíbrio matemático, proporção e simetria. É uma visão superficial determinada pela superfície de um objeto, seu design exterior, cores e simetria. O que não se conforma com esse equilíbrio físico é considerado anormal. Mas quem decide qual é essa norma? No mundo ocidental, provavelmente é a moda, o entretenimento ou as indústrias de comunicação. A bíblia não ignora a atratividade do corpo físico, entretanto coloca a ênfase na dimensão dinâmica da beleza e na simplicidade e modéstia (1 Pedro 3:4). Bela é qualquer coisa ou qualquer pessoa que funciona ou se comporta da forma intencionada por Deus para funcionar ou se comportar (confira Gênesis 1:31). Portanto, o estresse está colocado na natureza do objeto ou na expressão dessa natureza no comportamento e na aparência física. A busca pela beleza é a busca por nossa verdadeira identidade afim de viver com ela. Uma vez que percebemos que somos filhos de Deus através de Jesus, tudo muda; incluindo a forma como pensamos, nos comportamos e percebemos a nós mesmos. O interesse na nossa aparência física permanece, mas não é nossa preocupação primária. Os membros da igreja deveriam perceber que na área da aparência todos nós temos diferentes necessidades e preocupações. O que um pode considera desnecessário, pode ser extremamente importante para outra pessoa. Olhe para mim, eu gostaria de ter mais cabelo! Na análise final, o embelezamento cosmético deve ser uma questão pessoal que deve ser decidida pelo indivíduo em seu relacionamento com o Deus que nos entende tão bem.

Angél Manuel Rodriguez, ThD, foi diretor do instituto de pesquisa Bíblica (BRI) por mais de 10 anos. 


O que você pensa sobre isso? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s