5 conselhos ESSENCIAIS para quem deseja se casar (ou já se casou)

Quando me casei, achei que os ajustes inevitáveis que todos diziam que precisavam acontecer eram basicamente coisas bestas como apertar o tubo de pasta no meio ou na ponta, ou então deixar a toalha molhada em cima da cama e assim por diante.

Esse tipo de coisas são conteúdo de várias piadas. Mas a realidade é que eu não fazia ideia de que os verdadeiros ajustes no casamento eram muito mais sérios e profundos. Os verdadeiros ajustes no casamento nascem dos profundos estilhaços da nossa alma, que trazemos para o relacionamento. Mesmo os mais saudáveis psicologicamente trazem para o casamento seus resíduos de experiências desde a infância que os deixaram marcados de diferentes formas e em diferentes profundidades: falta de autoestima, insensibilidade, complexo de inferioridade, impulsividade, insegurança, e assim por diante.

Com tantas pessoas vindo de lares falidos e famílias disfuncionais, esses tipos de problemas serão muito mais frequentes nos recém casados dessa geração.

Eu ouvi uma vez que o casamento se compara a dois grandes rios que em algum ponto se cruzam. Onde eles se encontrarem, haverá turbulência por algum tempo. Mas depois de algum tempo, correnteza abaixo, os rios realmente se tornarão um e seguirão tranquilamente o seu curso. Essa comparação é muito adequada. Vai levar de 5 a 8 anos para que essa fase de ajustes seja superada e um relacionamento amoroso e pacífico seja alcançado. Eu não quero desencorajar você, mas abrir seus olhos para o que está à  frente, para que quando isso acontecer, você não desista, mas diga “Nós podemos, com a ajuda de Deus, passar por isso e ter o casamento que Deus tanto deseja que nós tenhamos!”.

Os primeiros anos do casamento, que são retratados como uma utopia idílica por Hollywood,  serão – se você vivê-los corretamente – provavelmente os piores anos do seu casamento.

Sendo assim, eu tenho alguns conselhos para te ajudar a passar por essa fase e ter um relacionamento feliz. Mencionarei alguns pontos:

1. Decida que não haverá divórcio

Lembre-se que de acordo com a Bíblia, Deus odeia o divórcio – é um pecado e precisa ser evitado a todo custo. Portanto, não importa o quanto as coisas fiquem difíceis, nenhum de vocês irá desistir. Vocês vão superar, moldar o coração, fazer o que for preciso para resolver os problemas.

Seja, individualmente, o homem ou a mulher que Deus o chamou a ser, a despeito do que seu cônjuge fizer. Decida buscar santidade em vez de felicidade (embora você saiba que a santidade é o verdade segredo da felicidade). Isso o fará suportar a dor em vez de escolher o caminho mais fácil. Ironicamente, ao escolher o caminho mais difícil do compromisso permanente, você aumentará colossalmente as chances de construir um casamento feliz pois você proverá o tipo de segurança que seu parceiro precisa para que o verdadeiro amor floresça.

2. Demore para ter filhos

Os primeiros anos do casamento já são difíceis o suficiente sem introduzir a complexidade de se ter filhos. Quando as crianças chegam, a atenção da esposa é necessariamente redirigida e grande estresse recai sobre ambos. Gaste os primeiros muitos anos do casamento se conhecendo, trabalhando nos ajustes necessários, divertindo-se e aproveitando o relacionamento de amor íntimo só entre vocês dois. Eu e minha esposa demoramos 10 anos para ter nossa primeira filha, o que me permitiu terminar o programa de doutorado, colocar os pés no chão financeiramente, estabelecer algumas raízes e curtir e construir nosso relacionamento amoroso até que estivéssemos prontos para assumir a responsabilidade da paternidade.

A exceção aqui é que se a esposa quiser desesperadamente ter um filho agora, então o marido deveria ceder à decisão. O veredito dela deveria ser decisivo. Mas se ambos podem concordar em esperar, as coisas provavelmente serão muito mais fáceis.

3. Confronte os problemas com honestidade

Quando encontramos casais recém-casados, minha esposa às vezes os choca, comentando “Bem, espero que vocês estejam brigando bastante!” Discutir com seu esposo às vezes é dolorido e exaustivo, mas ainda assim uma forma necessária para resolver as diferenças mais profundas e caminhar no processo de se tornar como um.

O casal que está em real perigo não é aquele que está brigando, mas sim aquele que não se confronta. A fim de evitar a dor, é mais fácil varrer as coisas pra debaixo do tapete e tentar esquecê-las. Mas quando os problemas não se resolvem a amargura e o ressentimento podem crescer secretamente até que o casamento fique sufocado e envenenado – e o pior, uma das partes (ou as duas) achará que está tudo bem. Não deixe isso acontecer. Vista-se de coragem, decida-se carregar a dor e confronte os problemas com transparência.

Só entenda, por favor, que quando falo de “brigar” não estou falando de violência física ou abuso emocional. Eu estou falando sobre discutir. E quando você discute, você deve exercitar seu domínio próprio para fazer isso de maneira justa e respeitosa – com amor. Não profira palavras ou ofensas com a intenção de ferir, coisas das quais você vai se arrepender depois. Isso é incosistente com o amor. Mantenha em mente, mesmo quando você estiver no calor de uma discussão, que o propósito de uma discussão é resolver o problema e não ferir a outra pessoa com ofensas astutas. Pergunte-se sempre “como podemos resolver isso?”, em vez de se perguntar como você pode vencer a discussão. Você vence quando o problema é resolvido e você sai da discussão com uma pessoa que ama você e não sofreu danos emocionais por palavras ofensivas.

4. Busque aconselhamento

Um excelente conselheiro pode ajudar vocês a verem coisas que simplesmente não podem ser vistas de dentro do relacionamento. Ele pode ajudar na adoção de estratégias para construir o relacionamento em áreas fracas, trabalhando nos problemas, lidando com as crianças e outras coisas semelhantes. NUNCA se envergonhe de buscar aconselhamento. A atitude de buscar ajuda diz ao seu parceiro o quão sério você leva a responsabilidade de construir um relacionamento e o quão disposto você está a se humilhar e mudar, se for necessário. Dito isso, eu peço que tome cuidado com conselheiros ruins. Se seu conselheiro não está revelando insights penetrantes sobre si, sua parceira e seu relacionamento e as sessões só se prolongam sem muito benefício, pare já e vá buscar outro conselheiro! Não gaste tempo e dinheiro com um conselheiro ruim.

5. Siga os passos para construir intimidade em seu relacionamento

Esposas:  Vocês precisam saber que a necessidade #1 de seu marido, no casamento, é o que ele mais quer de você: sexo! Sim, frequentemente sexo entusiástico! Ele precisa saber que você tem desejo sexual por ele e que isso não é só uma “rotina”. Se você fizer isso, você provavelmente terá um parceiro feliz, de fato. Infelizmente, aqui nós confrontamos uma das grandes desconexões entre homens e mulheres (sabe, aquela coisa de Venus e Marte). O homem desenvolve grande parte de sua intimidade com a mulher que ele ama através da relação sexual, mas a mulher comumente vê a intimidade como um pré-requisito para a relação sexual. Então, se você está sentindo distância emocional do seu parceiro, o que você faz? Parece um impasse. Quando você passar por essa situação (é só uma questão de tempo até isso acontecer), o meu conselho é o seguinte: esposa, esteja aberta às “investidas” do seu marido. De outra forma, você estará usando o sexo como uma arma e dizendo algo como “primeiro atenda às minhas necessidades emocionais ou você não terá sexo”. Isso é manipulação e está bem distante do que é o amor. Algum tempo depois de fazer amor você pode levantar as questões que você sente que criaram a distância emocional entre vocês e buscar resolvê-las.

Já os maridos precisam lembrar que o que você está querendo não é simplesmente sexo, você está pedindo para que sua esposa deixe você literalmente entrar dentro dela. É difícil imaginar um ato que demonstre mais vulnerabilidade e rendição do que isso. Portanto, você precisa fazer tudo que puder para construir um relacionamento de intimidade e confiança para que ela tenha esse desejo. Como você faz isso? Sendo romântico? Com certeza; mas aqui nós encontramos outra grande desconexão. Quando eu, como um homem, penso em algo romântico, imagino um jantar à luz de velas, música suave, uma caminhada sob o luar na praia. Mas para minha esposa essas coisas são superficiais. Nenhuma delas atinge a essência do romântico em seu coração. Para ela, o coração do romance é: conversar com ela! Sim, simplesmente separar tempo para dialogar e se conectar no nível emocional. Isso significa ter tempo em sua agenda, só para ela. O problema é que isso pode se tornar simplesmente mais uma coisa que você faz, algo superficial. O ponto chave é que durante esse tempo você se dedique de alma inteira a se conectar ao coração dela.Essa é a essência do verdadeiro romantismo.

O que nós aprendemos é que o casamento é tudo sobre ser e não sobre fazer. Vocês podem estar fazendo todas as coisas prescritas nos livros sobre casamento e ainda assim não estarem juntos. Para que isso não aconteça, é necessário derrubar as paredes defensivas, invisíveis que nós construimos para nos proteger da dor. Isso significa ter fronteiras que podem ser cruzadas pelo outro. Menos metaforicamente, significa vulnerabilidade transparência no relacionamento com o outro. Relacionar-se dessa forma com sua parceira cria uma conexão emocional que fortalece a intimidade.

Então, como podemos saber se estamos só fazendo coisas em vez de sermos transparentes e vulneráveis, já que temos vários pontos cegos e tendemos a nos enganar e racionalizar? Bem, isso é algo que com certeza sua esposa ou seu esposo pode te dizer. Mas uma boa medida é explorar seus sentimentos e ver se você tem algum ressentimento por todos esforços que tem colocado no casamento. Se você tiver algum ressentimento, esse é um claro sinal de que vocês podem estar fazendo coisas em vez de serem o que devem.

Para ambos os cônjuges: Possivelmente o maior inimigo de um casamento bem sucedido é a “separação crescente”. Isso quer dizer que, eventualmente vocês podem começar a viver duas vidas separadas e assim seguir mais e mais distantes a cada dia. Ambos precisam colocar tudo em risco para não deixar isso acontecer: envolvam-se em uma causa comum, tenham amigos em comum, compartilhem hobbies e atividades. Não permitam que vocês sigam trajetórias independentes – estejam dispostos a sacrificar até mesmo a carreira profissional para não permitir que isso aconteça – eu te garanto que seu casamento será uma fonte de satisfação muito maior do que sua profissão.

 Traduzido e adaptado de um texto publicado pelo filósofo William Lane Craig em seu site reasonable faith.


O que você pensa sobre isso? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s